Home

A “Teia das 5 curas: Todos nós somos parentes” é uma rede colaborativa de re-educação, extensão e pesquisa participativa que envolve comunidades indígenas no Brasil, Peru, México e Canadá, a Universidade da Columbia Britânica (Vancouver, Canadá), o coletivo de arte e pesquisa Apontando rumo a futuros decoloniais, e parceiros como a ONG Uniseres e o Movimento Saúde Mental Comunitária no Ceará.

O projeto enfoca as práticas indígenas que podem ajudar a enfrentar as crises ecológicas, de saúde e sociais que o sistema moderno-colonial criou.

O projeto visa a criação de centros de acolhimento e re-educação nas aldeias das comunidades envolvidas a partir de uma pedagogia que coloca a terra no centro como o útero que sustenta a vida.

A pedagogia do útero, do entrelaçamento com a terra enfoca as 5 curas: cura dos pensamentos, dos sentimentos, das relações, dos ciclos ecológicos e das trocas econômicas.

A abordagem que estamos desenvolvendo de forma colaborativa envolve o aprendizado cognitivo, afetivo e experiencial, incluindo temáticas abordadas com a própria terra, em diferentes tipos de sala de aula, online, e através de práticas corporais e de vivências em campo.

A Aldeia Monguba, do Povo Pitaguary será a base do plano piloto desse projeto, coordenado por Rosa Pitaguary, Benício Pitaguary e Vanessa Andreotti. A comunidade vai ser a primeira a receber grupos participantes desse programa no Brasil.

O primeiro encontro de pesquisa das comunidades indígenas envolvidas ocorreu no Ceará de 1 a 5 de maio de 2019. O relatório-resumo do encontro está disponível em: https://decolonialfutures.net/portfolio/teia-das-5-curas/